ABTD - Locação da Estação de Treinamento
Atendimento Corporativo - Senac São Paulo
Artigos ABTD
Como enfrentar o medo de falar em público.
http://www.abtd.com.br - Data da Publicação: 15/05/2017

Por REINALDO PASSADORI

COMO ENFRENTAR O MEDO DE FALAR EM PÚBLICO

Por mais incrível que possa parecer, o medo de falar em público é mais comum do que se imagina. É a principaldos executivos, conforme pesquisa realizada pelo jornal inglês Sunday Times e também o Globo Repórter divulgou resultados semelhantes em pesquisa, ambos de 2009. Fato curioso é notar que algumas pessoas apontam o medo de falar em público como maior do que o da própria morte.

Ressalvados os casos mais graves, gerados por fobias profundas ou traumas necessitando de medicamentos específicos e tratamento feito por especialistas, todas as pessoas podem enfrentar o medo que as impede de mostrarem seu real potencial, praticando com professores de oratória, usando técnicas específicas para a obtenção de resultados mais satisfatórios.

Essa tem sido a minha experiência, por mais de 30 anos como professor de Oratória/Expressão Verbal, tendo treinado mais de 80.000 pessoas com dificuldades diversas e objetivos específicos, mas principalmente com medo de falar em público ou medo do palco.

Glossofobia é o nome técnico desse medo, que causa ansiedade, fobia social e pânico. As reações mais comuns são: fugir da situação, arranjar uma desculpa, só para não precisar falar, ainda mais quando for diante de um público imenso, com palco, microfone, iluminação, câmaras e holofotes.... Nossa! Há pessoas que não conseguem falar em público de jeito nenhum, nem sequer em uma festa de aniversário com pessoas da própria família.

Para aqueles que resolvem enfrentar esse medo, as manifestações mais comuns no corpo são: tremedeira, gagueira, sudorese, taquicardia, boca seca, “branco”, rigidez corporal, mudança de cor (há pessoas que ficam vermelhas, outras amareladas). Devemos considerar que cada caso é totalmente distinto, tendo seus sintomas e soluções também adequadas a cada situação. É interessante observar também as origens desses medos, que são vinculados principalmente à educação recebida, falta de experiência, resíduos de experiências malsucedidas, falta de crença em sua capacidade, entre outros. Enquanto algumas pessoas têm medo de falar diante de uma multidão (para alguns, multidão é acima de 5 pessoas), outras ficam inibidas ao falar em pé, outras diante de pessoas desconhecidas, outras diante de conhecidos, outras com pessoas de nível hierárquico superior, homens diante de mulheres e mulheres diante de homens. Há os traumatizados e há também os inexperientes.

A pergunta é: isso tem solução? Posso enfrentar o medo de falar em público?

Asseguro, com conhecimento de causa e autoridade no assunto, que a resposta seguramente é SIM. Você pode, qualquer pessoa pode, desde que deseje mudar e enfrentar seu medo.

Selecionei algumas sugestões, tiradas das experiências de sala de aula e convívio com milhares de alunos, em sua maioria líderes, técnicos, profissionais de todos os ramos de atuação, e as destaquei nos meus livros, em especial no As 7 Dimensões da Comunicação Verbal. Meu intuito é auxiliar todos que têm esse tipo de dificuldade a iniciar um processo de mudanças para mostrar ao mundo, com segurança e naturalidade, suas ideias, valores e experiências, recebendo as devidas recompensas por mostrar seus pensamentos e emoções, sua capacidade de influenciar pessoas e fazer a diferença.

As sugestões são:

- Acredite em você mesmo, no seu imenso potencial. Mentalize-se tendo sucesso e sendo reconhecido pelo seu esforço de falar, sendo aplaudido pelo público e parabenizado pelo seu diretor ou superior imediato;

- Conheça bem sobre o assunto que irá falar, saiba especialmente como iniciar; se necessário, tenha uma pequena anotação para alguma emergência, caso esqueça;

- Aprenda a relaxar, fazendo exercícios de respiração, meditação, relaxando seus músculos, movimentando a cabeça, friccionando as mãos, mantendo uma postura firme e decidida;

- Mesmo que esteja tenso, não demonstre, procure andar com passos firmes, sem exagero, olhe para as pessoas (nos olhos), posicione-se, cumprimente todos e comece a falar;

- Tenha uma estratégia bem preparada para iniciar. Por exemplo, fazer algumas perguntas para quebrar o gelo, contar um fato que seja relacionado com o tema, apresentar o objetivo da sua apresentação, usar um pensamento ou provérbio ou uma mensagem alusiva ao tema que irá abordar;

- Conheça suas virtudes, apoie-se nelas, resgate momentos que teve coragem, firmeza para enfrentar situações difíceis na sua vida e procure trazer essas lembranças para esse momento. Talvez você se surpreenda como isso é poderoso;

- Por último, treine muito; procure dar aulas, fale em reuniões, ouse dar a sua opinião, mesmo que seja simples, não importa; conte piadas no seu grupo de amigos, defenda seu ponto de vista, lute por uma causa.

Assim, em pouco tempo, terá feito grandes progressos, mas lembre-se: aprender e desenvolver recursos de oratória é fundamental, tais como usar bem a sua voz, fazer gestos adequados, saber como planejar e organizar seu conteúdo intelectual, mantendo coerência e precisão, corrigir seus eventuais erros gramaticais ou vícios de linguagem e utilizar adequadamente os recursos audiovisuais. Pronto, você já pode começar!

Um abraço e boa sorte nas suas futuras apresentações!

Reinaldo Passadori

 

Reinaldo Passadori é um líder nacionalmente reconhecido no campo da Comunicação e Lideres. Presidente e Fundador do Instituto Passadori de Educação Corporativa. Criador e apresentador do Programa Comunicação Executiva, professor de pós graduação, articulista e fonte para assuntos relacionados a Comunicação e do mundo corporativo.
REDES SOCIAS
ASSOCIADO
FIQUE SÓCIO - ABTD
ilog - Soluções em aprendizagem
Impacta Treinamentos
© Copyright 1999 - 2017 - Política de Privacidade - Todos os direitos reservados à ABTD Nacional - Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento
Rua Machado Bittencourt, 89 - Vila Mariana - CEP: 04044-000 - São Paulo - SP - Tel/Fax: (11) 5085-2283. abtd@abtd.com.br

Os textos publicados não representam, necessariamente, a opinião da ABTD e de seus diretores.
Os textos cadastrados são de responsabilidade exclusiva dos seus respectivos autores.